Move, Eat, Learn – Lições para quem trabalha com moda e pesquisa de tendências

Viajar é um dos maiores prazeres da vida. É nessa hora que você vê o mundo do tamanho que ele realmente é, entende a importância (ou não) dos problemas do cotidiano e se questiona sobre a vida que você está construindo. Talvez seja diferente para outras pessoas, mas vejo como um grande momento de vivenciar cada minutinho e digerir toda e qualquer informação que encontra pela frente.

Daqui alguns dias embarco novamente para mais uma temporada internacional, sequência de desfiles, showroons e trades shows. Mas muito além de tudo que amo na moda, viajo com olhos de pesquisa de tendência e comportamento. Informações que não estão ainda nas passarelas. Voltamos com pesquisas ricas sobre comportamento de consumo e tendências, são com elas que atendemos as marcas e construímos suas estratégias de posicionamento. Nossa mala vem repleta de novas experiências, com um novo guarda-roupa, e no recheio as pesquisas customizadas para cada cliente que atendemos. Nossa próxima viagem trará a sequência em Doc. do nosso livro “More Than Trends”. Se você leu o livro, verá que apresentamos caminhos abertos, onde cada pessoa irá absorver a informação de uma maneira. Não é possível aplicar uma regra ou teoria quando se fala em comportamento de consumo e aí está o grande desafio.

Sei que muitos sonham e desejam trabalhar como cool hunting, por isso preparei algumas dicas para aqueles que buscam se profissionalizar:

1.A sua riqueza cultura e a sua história de vida são os bens mais preciosos. São informações que não se podem encontrar em um curso, por isso as valorize mais que tudo. Visualize um quebra-cabeças em sua mente, agora perceba que conseguir mensurar uma pesquisa é basicamente isso, unir informações que parecem fragmentadas e a partir daí une e forma um painel de informacões reais.

2. Lembre que o mundo é grande demais para você buscar referência dentro de um provador ou nas vitrines dos magazines. Não acredite em profissionais que viajam para “pesquisar” e voltam com milhões de fotos tiradas clandestinamente nas lojas.

3. Conforto é fundamental para trabalhar. Caminhe, olhe, inspire, absorva a informação que o meio transmite. Estilo não exige sacrifício, por isso opte por calcados e peças que permitam que você esteja bem em qualquer lugar e pronto para qualquer coisa.

4. Saia dos roteiros tradicionais, busque a verdade na cultura de cada lugar por onde passar. Não é preciso sair do país para fazer isso. Lembre que o Brasil é uma das culturas mais atraentes no mercado global no momento. Aquilo que parece ser banal para você pode ser interessante na construção de um cenário.

5. Olhe as pessoas à sua volta e faça uma analise do consumo delas. Já olhou para seus pais como pessoas que fazem parte de uma geração? Já analisou o consumo deles? E o porteiro do seu prédio? É provável que no seu universo você encontre pequenas amostras de diferentes públicos e hábitos de consumo.

6. Quer aprender? Então, ao invés de investir em um curso teórico, opte por dar entrada naquela viagem que sempre sonhou ou então compre uma filmadora, camêra, que você possa registrar as informações que encontra. O mais importante é investir na sua formação cultural, com música, livros, viagens, filmes…

7. Se você quer trabalhar com pesquisa de tendências para empresas que precisam, primeiro é necessário conhecer profundamente o mercado e a necessidade delas. De nada adianta saber o que há de mais hype na música, se você não conhece a realidade do seu cliente. A verdade de cada marca está no convívio com elas e não em Paris, Tóquio ou Berlim.

8. O segredo do sucesso está na edição da informação. Se você colher a informação e não conseguir aplicar ela a nada, sem visualizar um resultado eficaz ou um caminho significativo, esqueça. Disso o mundo está cheio, por isso acredite em você e lembre que pesquisa está ligada à feeling e percepção de mundo, não está na contratação de um curso.

Os vídeos abaixo não são muito novos, talvez você já tenha visto. Mas eles traduzem isso que estou falando nesse post…

Viva, experimente, seja uma pessoa interessante, ganhe experiência de mundo e então o mundo encontrará em você a informação que busca.

MOVE from Rick Mereki on Vimeo.

EAT from Rick Mereki on Vimeo.

LEARN from Rick Mereki on Vimeo.

2 Respostas

  1. Adorei esse post! Perfeito pra que acha que ser coolhunter é pagar um curso numa escola e se achar O caçador de tendências! E real no item 6, já fiz cursos em várias escolas renomadas aqui e lá fora (ESPM e FIT) e nenhuma me deu mais bagagem que viagens, livros e pessoas! Great! ;)

    9 de setembro de 2011 às 7:31 pm

  2. Tatiane Costa

    li este post bem num dia que estava pensando me inscrever no curso de coolhunter aqui na Lemon School. A escola é ótima, mas a dúvida de fazer ou não o curso era imensa. Acredito que temos que apurar nossos sentidos para enxergar mudanças e novos manifestos na sociedade. Agradeço por esse post, me iluminou um bocado.

    19 de setembro de 2011 às 5:33 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s