Dragão Fashion Resumo

 

Adorei o Dragão. Quero voltar na próxima edição.

 

Achei o evento bacana, mesmo com o consumidor final como público, há um grande interesse pela moda realmente. Sem contar com celebridades na passarela, o público comparece e lota as salas de desfiles. Um evento feito de Dragões no verdadeiro sentido da palavra, ótimos estilistas, um celeiro de talentos.

 

Ouvi de muitas criticas sobre o evento, vários jornalistas cometam que o evento está bem mais comercial e isso está tirando o brilho do Dragão Fashion. Como eu não conhecia, e estou acostumada a eventos fora do eixo Rio – SP em que a celebridade rouba a cena, achei tudo muito bom. Meus destaques são:

 

 

Walério Araújo arrancou muitos aplausos, mesmo do desfile terminar, pela coleção carnavalesca. Uma brincadeira que fez plumas virarem franjas super sofisticadas em uma saia de arrancar suspiros. E o desfile fechou com o próprio Walério sambando animadíssimo e performático.

 

 

 

João Pimenta, já conhecido em alguns meios por desfilar na Casa de Criadores e com participações na Semana Internacional de Moda de Madri e na Texworld de Paris , mostrou uma coleção forte inspirada no primitivo, com peças repletas de aplicações de tecido trazido da áfrica em uma de suas pesquisas. O melhor foi a evolução da coleção, uma unidade tão grande que parecia deslizar de um look para outro, o que é impressionante, pq começou super “homem das cavernas” e terminou no “ heavy metal chic”. Amei.

 

 

Mas quem já mora no coração dos cearenses são as meninas Larissa Fontenelle e Natália Viana que criaram com muita feminilidade uma coleção que passeia entre o comercial e o conceitual. Inspiradas nas obras de Burle Marx, brincaram com volumes em peças que criavam pesos nas pontas. Encerraram o desfile com uma noiva. O público amou, aplaudiu de pé e mostrou que tem orgulho da dupla recém formada pela Faculdade Católica do Ceará.

 

 

 

Gente, foi tudo ótimo. Trabalhei com calma, pude conversar calmamente com vários estilistas, gravei as entrevistas que quis, sem pressa. Não é para voltar feliz? (Tudo isso será veiculado no programa de Tv da Catarina, depois conto detalhes aqui sobre a volta pra tv). Sabe que eles não levaram equipes para a cobertura, né? Pois é, a organização preferiu disponibilizar equipes no próprio evento. Quando soube disso, achei que seria um caos, mas foi super organizado, os meninos da Universidade católica estavam sempre á disposição para gravar o que eu quisesse. Achei uma boa solução essa parceria com a universidade.

 

 

Aliás, os desfiles das universidades foram super legais. Foram coleções coletivas, o que fez com que as coleções fossem mais bem acabadas para a passarela. Gostei do que vi.

Paralelo ao evento, consegui só dar uma escapada para ir ao mercado central comprar alguns produtos típicos da região, mas foi difícil encontrar porque estão cobrando o olho da cara pelas rendas. Um absurdo. Voltei só com uma toalha de mesa e uma toalhinha para o lavabo. Quem sabe na próxima edição do Dragão tomo coragem e compro o lençol lindo que vi lá no Mercado Central… 

 

Uma resposta

  1. Adorei o post e o blog.

    Saudade de quando eu ía na Casa de criadores…que decadência…

    8 de abril de 2009 às 4:42 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s