Polêmica.

Santa Catarina é o primeiro estado brasileiro a traçar um planejamento para o mercado da moda em cima de uma ampla pesquisa realizada. O fórum sobre o “Futuro da Moda Catarinense até 2012”, foi ótimo. Nomes como Ronaldo Fraga, Vinicius Lages, Mário Queiroz, André Robic, Giuliano Donini, Carlos Ferreirinha, Gil Karsten participaram do processo, que trouxe à tona a preocupação com vários aspectos como economia, questões ambientais, entrada do mercado asiático, novas profissões, novas tecnologias, marketing, gestão de marcas… Dividido em três sessões de debates, em dois dias de evento, os temas discutidos seguraram a atenção dos alunos presentes (o que não é nada fácil) e, principalmente, deixou questões em aberto para serem ainda analisadas e discutidas. Conversamos com várias estudantes que estavam apavoradas com a realidade do mercado, ficaram pensativas e perceberam a importância do estudante de moda no futuro do mercado. Bem, assisti aos outros dois debates, que foram ótimossss, mas hoje vou focar na Terceira sessão de debate do evento, sobre “Sociedade, Estilo de Vida; Promoção e Publicidade”, onde fui a moderadora da mesa, como comentei há alguns dias aqui. No inicio eu estava super nervosa, mas assim que subi no palco e começaram a levantar as questões sobre a pesquisa logo passou o nervosismo e a minha mente começou a borbulhar de idéias e raciocínios sobre o mercado em geral e nossos clientes. Como as tendências se aplicam a cada um deles e tal. A primeira a colocar seu ponto de vista foi a baiana Renata Pitombo Cidreira , doutora em Comunicação e Cultura Contemporânea e autora do livro “Os Sentidos da Moda.” Ela deu um verdadeiro show. Cada debatedor tinha direito a 15 minutos, mas ela estava tão bem com suas colocações que deixei passar o tempo para 35 minutos, eu simplesmente estava amando ouvi-la e esqueci completamente de cronometrar os 15 minutos.rsrsrrsrs (o povo da organização queria me matar…rs) Na seqüência, passei a palavra para Samira Campos e aí rola um bafão. E vou continuar no papel de moderadora e vou tentar esclarecer a situação, segundo a minha ótica,ok? 

A pesquisa Delphi foi completamente voltada para o mercado têxtil de SC e muitos devem te se perguntado o motivo da Samira estar presente ali na mesa, já que seu foco de atuação é com o lojista (como assessora de imprensa) e a visão de mercado de moda dela é voltada para as passarelas. Na verdade, acredito que ela estava ali para contribuir como profissional que está há mto tempo no mercado catarinense, não como especialista, como era o caso dos demais da mesa. Mas é válida sim a participação dela. ( na minha opinião)

 Bem, explicando melhor o que aconteceu, durante suas colocações a Samira criticou a pesquisa, disse que era “superficial”, que essas questões deveriam ser debatidas com mais profundidade. A questão era que aquele era o momento de debate, afinal era a conclusão de uma pesquisa que rola desde março de 2007 encomendada pelo Governo de SC para a empresa especializada em pesquisa,a S3, sob o comando de Domenico De Masi… E criticou ainda os estudantes de moda, dizendo que não há criatividade neles.  Muitos que estavam presentes no público não gostaram nem um pouco e questionaram lá mesmo. O que eu acho correto e assim ela pôde se defender no momento onde foi aberto paras as perguntas do público. Mas os estudantes presentes não se conformar e agora rola uma série de emails comentando o fato. Acredito que o incômodo aumentou à medida que tudo que ela defendeu batia de frente com a opinião do Ferreirinha, um especialista no e gestor do grupo SCMC. Onde ele defende a capacidade competitiva de SC perante ao mercado não só nacional, como mundial tb. Já que a participação de SC nos números de exportação supera os 30% e projetos como o próprio SCMC provam a criatividade dos nossos futuros profissionais. Enfim…completamente diferente da opinião dela. Bem, toda essa discussão prova que o evento foi mais que válido. Foi importante para fazer todos nós pararmos para refletir sobre o nosso futuro e ver até que ponto concordamos com as opiniões expostas lá. Como eu disse anteriormente, esse é o papel do debate. Cada um expõe a sua opinião e assim forma-se um painel de idéias.  Agora vamos esperar pelo livro que virá como um complemento do projeto

3 Respostas

  1. mari salum

    Pati, concordo com todas as suas palavras e assino embaixo. Não que isso seja falta de argumento da minha parte, pois aproveitei muito e não perdi nenhum detalhe do evento “O futuro da moda em Santa Catarina”, seja nos comentários ou vivência dos especialistas, dos dados- todos anotados por sinal, nas tendências, riscos e possibilidades, de uma pesquisa previsional e inteligente. Enfim, foi uma verdadeira aula, diga-se de passagem, de bandeja para os estudantes refletirem sobre vários temas. No seu post acabou saindo mais uma delas. Uma das coisas que me chamaram atenção foi a importância da gestão e do marketing para o sucesso de quem vai ser o futuro profissional de moda e isso deve ser logo acrescentado aos curriculos. Afinal, quem gostou de ouvir que as empresas trazem esses pofissionais de fora? Isso é um processo que passa pelo layout, mix de produtos para o varejo, vitrine, loja,distribuição, ponto de venda e até no marketing pessoal e isso foi citado no evento, no nome de estilistas famosos como Carlos Mieli. Salve seu sucesso mundo afora.
    Estou engatinhando nesse universo, mas me sinto bastante feliz por estar conhecendo de perto a moda, a indústria têxtil, DNA, hahahahahaha, as marcas, estilistas, coleções, conceito, a importância de seduzir o cliente, de trazer a simplicidade para os produtos. Confesso que as vezes me pego pensando como criaria a minha própria coleção, mas toda essa criatividade devo guardar para os textos, afinal é essa minha função. Bem, espero que com tudo isso eu possa acrescentar mais, nos textos, opiniões e fazer aquilo que é requisitado por você e pela Carla, mais formação de moda. Como sou a favor de só abrir a boca quando tenho conhecimento e argumento sobre o que estou falando, aderi também a riqueza de informações que trazem os blogs especializados. Eles tem sido meu primeiro acesso diário. Sempre que tiverem boas fontes e referências, é só compartilhar. Vou acompanhar aqui, esse processo. E salve a moda catarinense e a experiência de pessoas como você e a Carla que estão aqui para fazer a diferença, para somar e carregam muito bem a bandeira do potencial têxtil de SC. Salve Santa Catarina, as boas inciativas para o crescimento e fortalecimento do mercado de moda, a nossa criatividade, o multiculturalismo e tudo que temos de marailhoso nessa terra que é o 2º polo brasileiro do vestuário, movimenta 8% do PIB brasileiro é responde ainda por 15% das exportações nacionais. Que nunca nos falte argumento porque como foi tão defendido no evento e para mim é a bola da vez “Vamos valorizar o que temos aqui, o nosso potencial e todas as riquezas que são grande fonte de inspiração para o novo.

    9 de novembro de 2007 às 8:12 pm

  2. Tati

    Patrícia, concordo com suas palavras. Foram dois dias riquíssimos em informações e questionamentos. Sou professora de muitos dos estudantes que estavam lá e fiquei arrepiada com a motivação deles em estar ali presentes. Nem sempre isso é possível.

    Acho que SC tem que começar a valorizar questões como essa e não somente ver a moda como: modelo, passarela e glamour.

    Parabéns pela mediação. Uma das mais interessantes do evento.

    Abraços

    10 de novembro de 2007 às 1:39 am

  3. LEO

    Legal seu blog. Muito bom!
    Bjs!
    Leo.

    12 de novembro de 2007 às 12:54 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s